Avançar para o conteúdo principal desta página.
Inventário Artístico da Arquidiocese de Évora.
Apresentação

Inventário

Roteiros

Newsletter

Glossário

Links

Contactos


Página Inicial

Página de abertura

 

Azulejaria e Arte

Magnificat Maria

Expressões Artisticas da Fé

Joalharia na Arte Devocional

Relicários

Arte Indo-Portuguesa

 
Nossa Senhora da Graça do Divor.
Nossa Senhora da Graça do Divor
Azulejos de Padrão.
Azulejos de Padrão
Azulejos de Padrão.
Azulejos de Padrão
Azulejos de Padrão.
Azulejos de Padrão
Azulejos de Padrão.
Azulejos de Padrão
Azulejos de Padrão.
Azulejos de Padrão
Nossa Senhora com o Menino.
Nossa Senhora com o Menino
Painel ornamental.
Painel ornamental
Composição ornamental.
Composição ornamental
Cercadura com emblemas marianos.
Cercadura com emblemas marianos
Nossa Senhora da Boa Fé.
Nossa Senhora da Boa Fé
Nossa Senhora da Conceição com os símbolos Marianos.
Nossa Senhora da Conceição com os símbolos Marianos
Albarrada.
Albarrada
Padrão com volutas de acanto.
Padrão com volutas de acanto
Frontal de altar.
Frontal de altar
Calvário.
Calvário
Frontal de altar.
Frontal de altar
A Vida da Virgem.
A Vida da Virgem
São Miguel de Machede.
São Miguel de Machede
São Miguel pesando as almas.
São Miguel pesando as almas
Daniel na fossa dos leões.
Daniel na fossa dos leões
 
Painel de azulejos monocromático, azul, de doze por catorze azulejos que representa o episódio da intercessão divina salvando o profeta Daniel. A composição desenvolve-se num cenário naturalista e de arquitecturas. À esquerda do observador vê-se Daniel sentado numa rocha, de mãos abertas, olhando o anjo de pé. As duas figuras são rodeadas por três leões. O enquadramento é feito através de uma arquitectura fingida, com pilastras, "putti" e anjos que sustentam, na parte superior, uma cartela.

Daniel na fossa dos leões

Oficina de Valentim de Almeida, 1740-1750

 

   
  Ampliar imagem.
   
O episódio da intercessão divina salvando o profeta Daniel repete o mesmo tema da salvação da alma do painel precedente, com a fossa dos leões como uma figuração do inferno. Num artifício Barroco, o enquadramento é feito através de uma arquitectura fingida, com pilastras e anjos que sustentam uma arquitrave, como um cenário que se abre para uma cena exterior.